Revista Brasileira de Avaliação
https://rbaval.org.br/article/doi/10.4322/rbaval202312033
Revista Brasileira de Avaliação
Artigo original

Estratégias de incidência em tempos de crise política: As ações das organizações de mulheres negras no Brasil (2014-2019)

Elissa Emily Andrada Marques, Maria Alejandra Nicolás

Downloads: 1
Views: 185

Resumo

O objetivo do presente artigo é analisar os desafios para a incidência política de Organizações da Sociedade Civil (OSC) de mulheres negras durante o período de 2014 a 2019 no Brasil. Este é um estudo qualitativo, com a coleta de dados realizada por pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas conduzidas com doze entrevistadas de organizações de mulheres negras. Os dados foram analisados a partir de uma análise de conteúdo. Apesar de os conselhos serem vistos como os principais instrumentos para incidir nas políticas públicas, a partir de 2016, os mesmos passaram a não ser mais considerados como mecanismos efetivos para a participação e defesa dos ideais democráticos. As organizações que se mantiveram nesses espaços relatam não serem ouvidas, não possuírem apoio para as suas pautas, sofrerem perseguições, além de observarem mudanças nas regras das eleições dos conselhos. As OSC de mulheres negras que participaram da luta pela construção dessas instituições realizaram ações na tentativa de mantê-las, mas, de maneira geral, não conseguiram evitar este retrocesso.

Palavras-chave

Incidência política. Organizações da sociedade civil. Mulheres negras. Políticas públicas

Referências

Abers, Rebecca, Serafim, Lizandra, & Tatagiba, Luciana. (2014). Repertórios de interação estado-sociedade em um estado heterogêneo: A experiência na Era Lula. Revista de Ciencias Sociales, 57(2), 325-357. http:// dx.doi.org/10.1590/0011-5258201411.

Agência Senado. (2014). Projeto que derruba Política de Participação Social deve tramitar em regime de urgência. Recuperado em 17 de junho de 2023, de https://www12.senado.leg.br/noticias/ materias/2014/11/10/Projeto-que-derruba-politica-de-participacao-social-deve-tramitar-em-regime-deurgencia.

Agudelo, Germán Darío Valencia. (2012). Incidencia de la sociedad civil en el ciclo de las políticas públicas. Papel Político, 17(2), 469-496.

Articulação de Mulheres Negras Brasileiras – AMNB. (2016). Carta da Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras/AMNB contra o Golpe de Estado em curso no Brasil. Recuperado em 15 de maiode 2020, de https://amnb.org.br/carta-da-articulacao-de-organizacoes-de-mulheres-negras-brasileirasamnb-contra-o-golpe-de-estado-em-curso-no-brasil-2/

Bardin, Laurence. (2016). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bauer, Martins, & Aarts, Bas. (2002). A construção do corpus: um princípio para a coleta de dados qualitativos. In Martin W. Bauer & George Gaskell (Eds.), Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes.

Câmara, Rosana Hoffman. (2013). Análise de conteúdo: Da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais. Revista Interinstitucional de Psicologia, 6(2), 179-191.

Figueiredo, Ângela. (2018). Perspectivas e contribuições das organizações de mulheres negras e feministas negras contra o racismo e o sexismo na sociedade brasileira. Revista Direito & Práxis, 9(2), 1080-1099. http://dx.doi.org/10.1590/2179-8966/2018/33942

Flick, Uwe. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. (3. ed.). Porto Alegre: Artmed Editora.

Gerhardt, Tatiana Engel, & Silveira, Denise Tolfo. (2009). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Gohn, Maria da Glória. (2011). Conselhos gestores e participação sociopolítica (5. ed.). São Paulo: Cortez Ed.

Gonzalez, Lélia. (1982). A mulher negra na sociedade brasileira: Uma abordagem político-econômica. In Flávia Rios & Márcia Lima (Eds.), Por um feminismo afro-latino-americano: Ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janiero: Zahar.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. (2017). Colegiados Nacionais de Políticas Públicas em Contexto de Mudanças: Equipes de Apoio e Estratégias de Sobrevivência. Brasília: Rio de Janeiro: IPEA.

Marques, Elissa. (2020). A crise da democracia brasileira e as ações da articulação de mulheres negras brasileiras. Revista Orbis Latina, 10(2), 43-61.

Mbembe, Achille. (2018). NECROPOLÍTICA: Biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: N-1 Edições.

Minayo, Maria Cecília de Souza. (2014). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec Editora.

Moreira, Orlandil de Lima, & Santiago, Idalina Maria Freitas Lima. (2018). Movimentos sociais, participação e incidência nas políticas públicas locais. Revista Debates Insubmissos, 1(1), 68-82.

Ribeiro, Matilde. (2008). Mulheres negras: Uma trajetória de criatividade, determinação e organização. Estudos Feministas, Florianópolis, 16(3), 424. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300017

Ribeiro, Matilde. (2013). Institucionalização das políticas de promoção da igualdade racial no Brasil: Percursos e estratégias - 1986 a 2010 (Tese de doutorado). Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

Silva, Tatiana. (2019). Mudança institucional, discurso e instituições: Políticas Públicas de Igualdade Racial no Governo Federal de 2000 a 2014 (Tese de doutorado). Universidade de Brasília, Brasília.


Submetido em:
19/04/2023

Aceito em:
31/08/2023

65565a69a953953ee16b6dd4 rbaval Articles
Links & Downloads

Revista Brasileira de Avaliação

Share this page
Page Sections