Revista Brasileira de Avaliação
https://rbaval.org.br/article/doi/10.4322/rbma201306005
Revista Brasileira de Avaliação
Artigo Original

Os Jovens que não Estudam nem Trabalham no Brasil: Uma Análise do Perfil, Determinantes da Condição e Efeitos do Programa Bolsa Familia

Armando Simões

Downloads: 0
Views: 21

Resumo

O presente artigo investiga os jovens que não estudam nem trabalham (NEET) no Brasil usando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) no período 2001- 2012. Apresenta uma análise crítica do conceito de NEET, situa o Brasil no contexto internacional, traça a tendência na última década e o perfil desses jovens. Estima variações na probabilidade de o jovem estar na condição de NEET em função da participação no programa Bolsa Família (BF) e identifica alguns dos fatores que afetam aquela probabilidade. No caso das mulheres, maioria dos jovens NEET, a presença de filhos de 0 a 3 anos e o casamento (além do nível de renda e da escolaridade) aparecem como fortes determinantes do status de NEET. Esse status para as mulheres é uma condição de longo prazo não sendo, portanto, uma condição de “ser jovem”, mas de ser mulher em condições de pouca igualdade na relação de gênero. Conclui-se que o fenômeno no Brasil tem características específicas que sugerem um desenho de política que combine preferencialmente suporte de renda às jovens mães e acesso a serviços de creche e pré-escola. O contexto brasileiro se diferencia daquele dos países da OCDE, onde a crise do emprego é central. Aqui, as desigualdades sociais fortemente marcadas pela diferença de renda das famílias e do acesso aos serviços de educação infantil, associada à desigualdade de gênero, assumem maior importância na criação do fenômeno dos NEETs.

Palavras-chave

Juventude, Nem-Nem, Bolsa Família, Educação e Trabalho, Mulheres

Referências

Chen, Y. W. 2011. Once a NEET always a NEET? Experiences of employment and unemployment among youth in a job training programme in Taiwan. International Journal of Social Welfare, 20, 33-42.

Esping-Andersen, Gosta 2009. The Incomplete Revolution - Adapting to Women’s New Roles, Cambridge, Polity Press.

Finlay, Ian; Sheridan, Marion; McKay, Jane & Nudzor, Hope 2010. Young People on the Margins: In Need of More Choices and More Chances in Twenty-First Century Scotland. British Educational Research Journal, 36, 851-867.

Hopenhayn, Martín 2012. El encadenamiento educación y empleo: entre eslabón perdido y reproducción de las desigualdades. Oct/2012 ed.: IIPE-Unesco.

Maguire, Sue 2008. Paying Young People to Learn--Does It Work? Research in Post-Compulsory Education, 13, 205-215.

OECD 2012. How successful are students in moving from education to work?, OECD Publishing.

Pemberton, S. 2008. Tackling the NEET generation and the ability of policy to generate a ‘NEET’ solution - evidence from the UK. Environment and Planning C: Government and Policy, 26, 243-259.

Scott, Ana Silvia 2012. O caleidoscópio dos arranjos familiares. In: PINSKY, C. B. & PEDRO, J. M. (eds.) Nova História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Editora Contexto.

Yates, S. & Payne, M. 2006. Not so NEET?A critique of the use of ‘NEET’ in setting targets for interventions with youngpeople. Journal of Youth Studies, 9, 329–344.

Yates, Scott; HARRIS, ANGEL; SABATES, RICARDO & STAFF, JEREMY 2011. Early Occupational Aspirations and Fractured Transitions: A Study of Entry into ‘NEET’ Status in the UK. Journal of Social Policy, 40, 513-534.

5f4400030e88251f6a0d2b93 1598015026 Articles
Links & Downloads

Revista Brasileira de Avaliação

Share this page
Page Sections